VarianVarian

Como a braquiterapia funciona?

Braquiterapia

A forma como a braquiterapia é administrada depende da técnica utilizada. Existem dois tipos principais de braquiterapia: HDR (alta taxa de dose) e LDR (baixa taxa de dose).

A braquiterapia HDR envolve colocar uma única fonte radioativa de alta intensidade próxima ou dentro do tumor por um curto período de tempo, geralmente alguns minutos, e depois removê-la. Normalmente, os médicos usam cateteres ou agulhas – geralmente chamados de "aplicadores" – para direcionar a fonte radioativa até o tumor, embora isso dependa da área do corpo a ser tratada; em alguns casos, os cateteres podem não ser necessários.

A braquiterapia HDR é frequentemente usada para tratar cânceres ginecológicos, de pulmão, mama, próstata e cabeça e pescoço. Via de regra, é realizada em regime ambulatorial, o que significa que o paciente não precisa pernoitar no hospital. Normalmente, são necessárias apenas algumas sessões ambulatoriais de tratamento (1 a 5), ​​que podem ocorrer em um período de algumas horas, dias ou semanas.

A braquiterapia LDR requer que as fontes de radiação sejam colocadas dentro do tumor permanentemente. Esse tipo de braquiterapia é usada principalmente no tratamento de câncer de próstata, no que às vezes é chamada de "terapia de sementes". Nos tratamentos de próstata, as fontes de radiação se assemelham a pequenas sementes, do tamanho de um grão de arroz. O nível de radiação emitido pelas sementes diminui gradualmente ao longo do tempo até quase zero. A maior parte da radiação é liberada ao longo de 3 meses e, aos 9 meses, as sementes estão praticamente inativas.

Além da braquiterapia LDR e HDR, a radiação também pode ser administrada em pulsos curtos (por exemplo, uma vez por hora) durante um período total de até 24 horas. A isso se denomina "taxa de dose pulsada" ou braquiterapia PDR. A braquiterapia PDR é frequentemente usada para tratar cânceres ginecológicos e de cabeça e pescoço.