VarianVarian

Técnicas de tratamento

Câncer de mama

Existem duas grandes categorias de radioterapia; ambas foram desenvolvidas para atingir o tumor precisamente, minimizando o efeito da radiação no tecido circundante saudável.

Radioterapia de feixe externo

Na primeira categoria, radioterapia com feixe externo (EBRT), ou teleterapia, a radiação é aplicada por uma máquina chamada acelerador linear ou linac, que emite feixes de raios X de alta energia à distância e os concentra no local do tumor. Se você passou por uma tumorectomia ou uma mastectomia como parte de seu tratamento, a radiação de feixe externo é o tratamento pós-operatório mais comum.

IMRT, ou radioterapia de intensidade modulada guiada por imagem, é a técnica de tratamento de radiação mais comumente realizada em câncer de mama. A técnica de IMRT usa imagens 3D do seu corpo para guiar os feixes de radiação para o tumor de muitos ângulos diferentes. Em cada um desses ângulos, a intensidade da radiação é variada (modulada) e a forma do feixe é alterada para corresponder à forma do tumor. Esses ajustes permitem que a quantidade prescrita de radiação seja entregue a cada parte do tumor, minimizando o efeito no tecido saudável circundante. Via de regra, os tratamentos são administrados diariamente, por 10 a 20 minutos, durante um período de seis a oito semanas.

IGRT, ou radioterapia guiada por imagem, utiliza software de computador sofisticado para analisar uma série de imagens e criar uma imagem tridimensional detalhada da área alvo e do tecido circundante, o que permite que sua equipe visualize o tumor e sua posição no seu corpo antes e durante cada tratamento. As varreduras geralmente são produzidas por tomografia computadorizada (imagem de TC) ou por outros exames de imagem, como ressonância magnética (RM) ou tomografia por emissão de pósitrons (PET-Scan).

APBI, que significa radiação parcial acelerada da mama, é um regime hiperfracionado realizado em 5 a 10 sessões (geralmente 10 sessões em 5 dias). Hiperfracionamento é uma técnica na qual a dose total de radiação prescrita para o tratamento é dividida em doses menores e administrada em várias sessões até que a dose total recebida pelo tumor seja igual à dose total prescrita. Com a APBI, a radiação é fornecida a uma taxa de dose geral mais alta em um período de tempo mais curto em comparação com a radioterapia convencional.

Braquiterapia (radioterapia interna)

Na segunda categoria de tratamento, a radiação é aplicada inserindo-se pequenas sementes radioativas, cada uma do tamanho aproximado de um grão de arroz, dentro do corpo, perto das células cancerosas – um procedimento chamado braquiterapia, radioterapia interna ou radioterapia com implante. A braquiterapia (da palavra grega "brachy", que significa "próximo") é uma abordagem menos comum, mas pode ser apropriada para algumas mulheres. O médico coloca um ou mais tubos finos dentro da mama através de uma pequena incisão. Uma semente radioativa é, então, carregada no tubo. A sessão de tratamento normalmente leva alguns minutos e, em seguida, as sementes são removidas. Após a remoção, nenhuma radioatividade permanece no corpo. Este tipo de terapia é normalmente repetido todos os dias durante uma semana.