VarianVarian

Ray Sagar

Paciente com câncer de próstata "fascinado" pela tecnologia usada para tratar seu tumor

Parecendo preocupado, um clínico geral disse a Ray Sagar para consultar um especialista e examinar sua próstata o mais rápido possível. Ray disse que o faria. Quando ele e sua esposa saíram do consultório médico e estavam andando por um corredor para ir para casa, o médico os parou e disse inflexivelmente a Ray, pela segunda vez: "Faça isso. Logo." Exames de sangue subsequentes e um teste de PSA muito alto revelaram que Ray tinha câncer de próstata. "Eu fui ao médico por causa do desconforto retal que estava sentindo. Acontece que eu tinha câncer", disse Ray, 66, que cresceu nos Estados Unidos e vive na Inglaterra desde que se casou com uma inglesa, há 19 anos.

"Eu sabia desde o início que era uma forma curável e não virulenta de câncer de próstata, então tive uma atitude bastante otimista", afirma Ray, um técnico aposentado de eletrônica de rádios bidirecionais. "Tive muita sorte que meu câncer foi descoberto a tempo - por mero acaso."

Os médicos do centro de tratamento de Ray na Inglaterra disseram-lhe que a radioterapia seria um curso apropriado de tratamento para seu tumor, localizado na próstata. Embora otimista sobre seu tratamento, Ray ainda tinha muitas perguntas para os médicos. Muitas perguntas tratavam de aspectos de seu tratamento, que começou em maio de 2008, mas ele também fez inúmeras perguntas para satisfazer sua curiosidade sobre a tecnologia que fornece a radioterapia.

Todos os dias da semana, durante sete semanas, Ray ficava deitado em uma mesa de tratamento enquanto um acelerador linear da Varian girava em torno dele, mirando um feixe de tratamento no seu tumor. Ele observava uma ferramenta robótica na máquina, chamada colimador multilâminas, transformar a forma do feixe de tratamento na forma do seu tumor.

"Deitado na mesa de tratamento, vendo a máquina girar ao meu redor, pensei: 'isso é absolutamente incrível!', disse Ray. "Trabalho com eletrônica há muitos anos e um aparelho tão sofisticado sempre desperta minha curiosidade. Deitado sobre a mesa, lembro-me de pensar: 'esta máquina está ajudando a salvar vidas e quero aprender mais'."

"Fiquei amigo de vários pacientes com câncer que eu via na sala de espera", contou Ray. "Alguns deles ficaram intimidados ou até um pouco assustados com o acelerador linear. Mas não eu. Curiosamente, ver a máquina e o colimador em ação me pareceu fascinante."

Ray terminou seus tratamentos em meados de julho de 2008 e, em agosto, seus médicos determinaram, a partir de uma série de exames de seguimento, que seu câncer de próstata estava em remissão.

A Varian gostaria de agradecer ao Saint Luke's Cancer Center em Guildford, Inglaterra, por sua assistência no preparo desta história.

Deitado na mesa de tratamento, vendo a máquina girar ao meu redor, pensei: 'isso é absolutamente incrível!'... Trabalho com eletrônica há muitos anos e um aparelho tão sofisticado sempre desperta minha curiosidade. Deitado sobre a mesa, lembro-me de pensar: 'esta máquina está salvando vidas e quero aprender mais'.